O homem mais rico da Babilônia

Este vai ser um artigo breve sobre o básico de finanças inspirado no livro O homem mais rico da Babilônia.  Muitas pessoas reclamam que não tem dinheiro para pagar as contas do final do mês, mas estas não fazem um orçamento para contralar as despesas, pois isto é o principal que está sendo apresentado no livro. Fazer um orçamento para o que é necessário para sobreviver e tentar controlar as despesas. Depois disto, guardar pelo menos dez por cento da sua renda para que ela trabalhe para você e gere ainda mais renda no futuro, seguindo estes principios básicos, pelo menos dividas você não irá criar e poderá viver de maneiro confortavel mesmo que não fique rico. Abaixo um parábola do livro.

"O ouro cresce rapidamente quando se fazem ganhos razoáveis, como poderão ver pelo seguinte exemplo: quando nasceu o primeiro filho de um fazendeiro, ele entregou dez moedas de prata a um emprestador de dinheiro e pediu-lhe que as fizesse render para o filho até que este completasse vinte anos de idade. O homem concordou, estabelecendo que a soma renderia juros de um quarto de seu valor a cada quatro anos. O fazendeiro então solicitou, já que se tratava de um dinheiro que tinha separado exclusivamente para o filho, que os juros fossem incorporados ao principal. "Quando o rapaz completou vinte anos de idade, seu pai procurou novamente o emprestador de dinheiro para perguntar-lhe pela prata. O homem explicou-lhe que, como a soma tinha crescido à razão de juros compostos, as dez moedas de prata originais tinham aumentado para trinta moedas e meia. "O fazendeiro ficou bastante satisfeito e, como seu filho ainda não precisasse do dinheiro, deixou-o com o emprestador. Quando o filho completou cinqüenta anos de idade, tendo o pai a essa altura passado para o outro mundo, o banqueiro pagou ao filho, para liquidar o compromisso, 167 moedas de prata. "Assim, em cinqüenta anos, o investimento multiplicou-se quase setenta vezes. "Portanto, aqui está a terceira solução para a falta de dinheiro: Pôr cada moeda para trabalhar de modo que possa reproduzir-se como algodão nos campos e trazer-lhes lucro, um rio de riqueza fluindo constantemente para dentro de suas bolsas"



Comentários